1° Plano de Desenvolvimento Urbano de Porto Alegre - PDDU

A Cidade é uma realidade humana: Muito mais que um local de residência ou de trabalho, é um espaço criado pelo homem para a sua realização. Representa - como diria Mies van der Rohe - o produto da vontade de uma época.

Como empreendimento coletivo e realidade compartilhada, a cidade é obra de seus habitantes. Não pode esta cidade se voltar contra seus criadores, tornado-os estranhos ao ambiente onde vivem.

Como realidade social a cidade não pertence à alguns, mas a todos, e como tal, a população deve opinar sobre o seu destino.

Espera-se que esta interpretação da vida de cada um reflita numa resposta positiva da comunidade, pois que esta é uma responsabilidade coletiva da qual ninguém deve se furtar.

Partindo desta premissa, o 1° Plano Diretor de Desenvolvimento Urbano de Porto Alegre (PDDU) apresenta, como inovação, uma maior participação da comunidade no redimensionamento da cidade, permitindo que se alimente a esperança de um crescimento ordenado, apoiado também na vivência do cotidiano. Pelo do que se tem notícia é esta uma forma totalmente nova de valer-se da opinião das pessoas não especializadas  na tarefa de "repensar" a utilização do espaço urbano - pelo menos no Brasil. Espera-se, com isso, ganhe a funcionalidade e cresça de importância o conforto das pessoas.

Por igual a atualidade deste documento é atestada pela inclusão de um conjunto de normas voltadas para a humanização do crescimento urbano e a conservação do ambiente natural. Busca-se, assim, redimensionar a estrutura urbana, ensejando que o homem aqui viva de sorte a desenvolver ao máximo suas potencialidades físicas, econômicas, política e sociais.

Em suas linhas gerais, o 1° PDDU representa um esforço pela preservação da saúde social de Porto Alegre - por vezes ameaçada pelos diversos sintomas de enfermidades da época.

É, pois, a cidade repensada.

 

Guilherme Socias Villela, 1979

 


1° Plano Diretor de Desenvolvimento de Porto Alegre - 1° PDDU

Prefeitura Municipal de Porto Alegre - Secretaria do Planejamento Municipal

Prefeito Municipal

Econ. Gulherme Socia Villela

Secretário do Planejamento

Prof. Carlos Veríssimo do Amaral (1975 a 1979)

Econ. Lotário Lourenço Skolaude (1979)

Supervisor do Planejamento Urbano

Arq. Cláudio Ferraro

Supervisor de Planejamento e Programação

Econ. Jaime Oscar Silva Ungaretti (1975 a 1979)

Coordenador

José Morbini

Programa de Reavaliação do Plano Diretor - PROPLAN

Arq. Moacyr Moojen Marques

Grupo de Planejamento do Parques Estadual do Jacuí - PLANDEL

Arq. Udo ílvio Mohr

BIBLIOGRAFIA

PORTO ALEGRE. Lei Complementar n. 43, de 21 de julho de 1979. 1° PDDU Plano Diretor de Desenvolvimento Urbano de Porto Alegre. Porto
Alegre: Prefeitura Municipal de Porto Alegre, 1987.

MARQUES, M. M.. Porto Alegre su proyecto y otras consideraciones. Elarqa (Montevideo), v. 33, p. 34-37, 2000.

SALENGUE, Laís. MARQUES, Moacyr Moojen. Reavaliação de Planos Diretores: O Caso de Porto Alegre, In PANIZZI, Wrana; ROVATTI, João F. (org.) Estudos Urbanos. Porto Alegre e seu planejamento. Porto Alegre, Editora da Universidade, 1993.

PORTO ALEGRE. Planejar para viver melhor. Porto Alegre: Prefeitura Municipal
de Porto Alegre, 1979

PORTO ALEGRE. Decreto nº 2.872/64 - Porto Alegre: Prefeitura Municipal de Porto Alegre, 1964

PORTO ALEGRE. Plano Diretor 1954-1964. Prefeitura Municipal de Porto Alegre, Porto Alegre, 1964


PORTO ALEGRE. Decreto nº 3.481/72 - Porto Alegre: Prefeitura Municipal de Porto Alegre, 1972


PORTO ALEGRE. Decreto nº 4.552/72 - Porto Alegre: Prefeitura Municipal de Porto Alegre, 1972


PORTO ALEGRE. Decreto nº 5.162/75 - Porto Alegre: Prefeitura Municipal de Porto Alegre, 1975

PORTO ALEGRE. Prefeitura Municipal de Porto Alegre, Secretaria de Obras e Viação/Divisão de Urbanismo. Região metropolitana – estudos. Porto Alegre, 1967.

© 2018 Sergio M. Marques | Wix.com

+55 51 32258938 | moomaa.arq@gmail.com

  • Facebook - MooMAA
  • Instagram - MooMAA